10 Janeiro 2009

Ontem tive mais um exemplo da confusão que é para a maior parte das pessoas os clubes de futebol e as SAD. A alteração que levou à criação de empresas (sociedades anónimas desportivas) e cuja propriedade é dos clubes, não foi entendida pela maioria das pessoas.

As SAD são entidades jurídicas, e económicas, autónomas dos clubes e são detidas pelos possuidores do capital.

Para as SAD's foram transferidos, em muitos casos como 'capital', os passes dos jogadores e foram efectuados contratos pela utilização do nome e marca, com um determinado horizonte temporal e valor anuais definidos, para além das eventuais receitas de direitos televisivos, marketing, etc. ( ... )

Creio não me ter enganado em nada do que acima referi.

Então porque é que esta confusão existe no espírito das pessoas?

Em meu entender por estas razões:

- os clubes mantêm a maioria das acções das SAD's

- os dirigentes dos clubes acumulam lugares de administração nas SAD

- na criação das SAD os dirigentes dos clubes, na altura, referiam sempre, e em alguns casos como ponto de honra, que o clube, e os seus associados, manteriam o poder de decisão sobre as SAD's que continuariam a ser dos clubes (nos estatutos desses clubes está, em muitos casos, referido que no mínimo podem ter 15% e no máximo 40%, mas isto passa em claro aos adeptos).

Esta situação tem sido boa para as SAD's?

Em meu entender não. E porquê?.

Porque desincentiva o aparecimento de accionistas fortes que possam tomar as rédeas do negócio (não há regeneração) e em segundo lugar porque se mantém a 'clubite' com os consequentes equívocos de gestão.

O que é claro que o futebol português não tem melhorado e quem seguiu o caminho da abertura total do capital social das SAD, o tem feito.

 

publicado por RPF às 08:26
tags:

mais sobre mim

ver perfil

3 seguidores

pesquisar
 
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9