11 Janeiro 2009

Esta pergunta, é mais uma afirmação, oiço quase todos os dias.

Eu creio que não há. As leis e a sua aplicação é igual para todos os portugueses.

Mas porque é que temos esta opinião, que parece enraizada?.

Em minha opinião a diferença está nos protagonistas.

Quem tem capacidade financeira consegue os melhores advogados e empresas de advogados, quem não tem de ficar com os outros.

Isto é, o acesso à justiça existe (estado) e as leis são igualmente aplicadas (juízes) mas existe uma diferença nos outros agentes, neste caso os advogados que são quem intermedeia os cidadãos nas suas relações com a justiça.

E como podemos corrigir esta situação por forma a dar uma justiça igual a todos os cidadãos, sendo que a diferença não está na lei nem em quem a aplica mas sim nas capacidades (experiência, inteligência, conhecimento, etc.) de quem faz a mediação?.

Eu não sei a solução e que tenha conhecimento não existe nenhum País que tenha conseguido tal.

 

publicado por RPF às 08:17
tags:

Ou seja, DE FACTO há uma justiça para os pobres e outra para os ricos.
Fulano a 11 de Janeiro de 2009 às 08:34

É verdade, como de facto também há uma educação, saúde , etc.., para uns e outros de acordo com a sua capacidade económica.
A minha resposta de não prende-se com a convicção, que oiço diariamente , de que são as leis e os juízes que são diferentes para uns e outros.
A desigualdade está nos 'mediadores' que são eles próprios desiguais'.
Será possível corrigir essa desigualdade. No que diz respeito aos mediadores não. Os profissionais são diferentes, assim como em todas as outras profissões, porque os homens são, neste sentido, desiguais.
Parece só restar a regulação pela sociedade de outra forma de mediação e representação perante a justiça. E essa eu não sei como.
RPF a 11 de Janeiro de 2009 às 13:05

mais sobre mim

ver perfil

3 seguidores

pesquisar
 
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9