07 Maio 2009

Neste artigo no Liberdad Digital (que descobri via Liberalismo.org), Juan Ramón Rallo (Director do Observatório de Conjuntura Económica do Instituto Juan de Mariana) traça um modelo de responsabilidade global sobre a crise, e em particular das associações corporativas, neste caso os sindicatos, que só pretendem defender direitos e nunca obrigações e responsabilidades.

A frase de George Reisman que refere, é demolidaora para a acção dos sindicatos :

 

"básicamente organizaciones parasitarias que medran únicamente saqueando y en última instancia destruyendo las empresas que controlan. Su objetivo básico es forzar que se paguen mayores salarios por trabajos cada vez más reducidos y menos productivos"

 

Será assim?

Talvez porque todos temos responsabilidades a partilhar, seja no desencadear do processo de crise seja na sua resolução.

 

publicado por RPF às 09:56

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9