26 Maio 2009

Esta campanha, "Um dia sem impostos", que decorreu ontem em algumas cidades brasileiras, pretende mostrar o que efectivamente, do preço que pagamos, vai para a empresa fornecedora do bem/serviço, e o que efectivamente vai para o Estado.

A melhor forma de entender é a comparação directa entre o que pagamos, por um bem, normalmente e o que pagamos nesse dia especifico, pelo que se trata de uma campanha 'educativa'.

Na verdade o Estado 'esconde' o que os cidadãos, de per si, lhe estão a entregar para subsidiar os serviços que presta.

publicado por RPF às 17:41

26 Maio 2009

A dupla taxação das empresas americanas pelos resultados das suas subsidiárias no estrangeiro irá incrementar a sua expansão ou terá um efeito contrário, e trará retracção?.

Os países e as regiões sempre usaram os impostos como base de competição entre eles, o que tem levado a benefícios na atracção de investimento estrangeiro para compensar a falta de investimento dos naturais.

Tem levado à pressão sobre os Governos para diminuírem os impostos e equilibrarem, para melhorar a capacidade competitiva, com outros Países e Regiões?.

Temos um exemplo recente, em Portugal, que foi a 'pressão' sobre o Governo para baixar os impostos sobre os produtos petrolíferos tendo como a base a incapacidade de competir com os nossos vizinhos espanhóis.

Então, é bom ou mau?.

 

 


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

3 seguidores

pesquisar
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9