12 Maio 2009

No estado actual da crise financeira Mundial o apoio dos países de maior liquidez é quase indispensável. 

Para além da China, devido a ser um país exportador (a fábrica do Mundo) em especial para os EUA, também os países árabes poderão ser determinantes devido à liquidez adquirida com a exportação de petróleo.

Mas estarão eles dispostos, como até aqui, a dar esse contributo. E de que forma escolherão os seus investimentos em empresas e em títulos de divida publica? Que países e negócios serão os privilegiados nas suas escolhas?.

Este artigo da Carnegie Endowment for Economis Peace, mostra que o 'futuro' alinhamento dos investimentos árabes, no Mundo, poderá ser diferente do que até aqui, tendo em conta as suas realidades publicas e a dependência que irão criar, para si próprios.

Vamos ver o que vai acontecer.

publicado por RPF às 09:45

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9