08 Julho 2008

Vou contar duas pequenas histórias que nos podem ajudar a ver as diferenças de motivação e objectivos entre o nosso modelo de ensino e o espanhol:

História 1

Estive em Vila Real de Santo António com alguns amigos e surgiu um conhecido espanhol. Ao falarmos sobe o tema do momento em Portugal, os resultados dos exames nacionais, ele ouviu e quando disso 'Non te entiendo" percebemos que tínhamos de explicar o que eram exames nacionais. Demorámos muito tempo a tentar dar essa explicação que para ele era incompreensível. "Entonces, la escuela y los profesores no saben evaluar lo que enseñan?".

Acabou a conversa sem nos entendermos.

História 2

A minha filha teve de faltar a um exame que tinha marcado na Universidad de Huelva, por ter que estar, nesse mesmo dia, numa consulta em Lisboa.

Pensei : estás "frita" agora só para o ano é que vais fazer essa disciplina (como é em Portugal, mais concretamente na Faculdade de Ciências, donde ela é originária).

Espanto. Basta entregar o atestado médico e combinar com o professor nova data, dentro do período atribuído para exames, e fazer um novo. E se fosse impossível, encontrar uma data adequada aos dois, então fazia em Setembro (este e todos os outros que lhe apetecesse fazer ou que tivesse chumbado agora em Junho/Julho).

Conclusão : O método de avaliação dos conhecimentos é diferente do nosso (se calhar avaliam a escola, os professores, etc..). Entendem que os professores existem para ensinar, ajudar os alunos na aprendizagem e facilitar a rápida conclusão dos cursos em vez de 'castigarem' com mais um ano de espera.

Será?.

 

 

publicado por RPF às 10:03

mais sobre mim
pesquisar
 
Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9