27 Janeiro 2010

Temos assitido a vários debates sobre se a cidade de Lisboa ,e o País ,está preparado para um terramoto idêntico ao já acontecido no passado, ou idêntico ao que atingiu o Haiti.

Como em qualquer situação de catástrofe o que acontece é que se traçam cenários em que se tenta antever que destruição poderá acontecer e como afectará as infraestruturas e a capacidade de ajuda.

Não quero entrar nestá tão complexa análise em que a imprevisibilidade, global e pessoal, é elevadissima.

Não resisto, no entanto, a fazer um comentário sobre o tema , mais recorrentemente falado, que são as construções, i.e. os prédios. Estarão ou não preparados para uma abalo sismico?

Creio que a grande maioria não, na cidade de Lisboa e no resto do País.

E porquê, se temos normas de construção tão rigidas para as construções. ou será que as normas de construção não são adequadas para situações de catástrofe por 'azelhice« dos dirigentes do Estado (argumentação muito ouvida nos debates sobre o tema)?.

Ora há aqui algo que nos esquecemos, é que existem prédios em Lisboa com 250 anos (Bairro Alto, Madragoa, Alfama, Baixa, etc...) e muitos com mais de 60/70 anos (a grande maioria) e que em Lisboa o indice de novas construções é muito baixo nestes ultimos 50 anos.

Como não existia o mesmo nivel de conhecimentos e de tecnologia nessa altura, comparativamente ao que temos actualmente, óbviamente que os estragos seriam grandes e as condições de socorro, mesmo que a infraestrutura responsável por iessas acções, ficasse intacta haveria uma grande dificuldade de agir face aos danos causados.

Só as zonas de construção recente, e que não se situam em Lisboa mas nos seus arredores, terão condições de construção com resistência sismica.

publicado por RPF às 10:08

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
16

17

24
30

31