02 Fevereiro 2010

Um dos temas mais discutidos, pelo menos nas redes sociais, é a falência das previsões, ora sobre o PIB, ora sobre o deficit publico, ora sobre ....
Quando leio a maior parte dos comentários fico com a sensação de que , a grande maioria dessas pessoas, nunca traçou um plano, nem definiu objectivos e resultados expectáveis.
E porquê?
Porque uma das premissas bases de um plano (previsão) é a definição do quadro (ambiente) sobre o qual se está a trabalhar.
E este é um dos aspectos mais importantes no acompanhamento (controlo e correcções ao plano) durante a sua execução.
É óbvio, para quem já trabalhou nestas áreas, que nos pontos de controlo se aferir que as condições (ambiente) mudaram então só resta redefinir as acções e objectivos que tinham sido definidos.
Um plano, as sua metas/objectivos e resultados esperados, é uma entidade viva e em movimento adaptando-se ao ambiente em que decorre, e não um papel 'divino' escrito que não se altera.
Parece ser este o 'mal' de que enfermam muitos dos que tecem criticas sobre as previsões.
Uma previsão é uma expectativa de resultados a atingir por um leque de acções definidas e num ambiente que se altera num 'determinado' sentido. Nada mais que isso.
 

publicado por RPF às 11:29
tags:

mais sobre mim

ver perfil

3 seguidores

pesquisar
 
Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
19
20

21
22
25
27

28