27 Agosto 2008

Parece que o problema sobre a forma como o Fisco tem vindo a tratar os contribuintes, em particular os que 'normalmente cumprem as suas obrigações', não é um caso em que Portugal possa reclamar a sua originalidade.

No Brasil parece que a situação é idêntica, como pode ser lido neste artigo, e que mostra que a forma de 'perseguição' lá utilizada é similar à portuguesa.

Todos os contribuintes são tratados por igual e de forma suspeitosa, i.e. como um presumível prevaricador.

As empresas privadas já fazem avaliação de risco e tratamento diferenciado aos seus clientes.

O estado 'igualitário' trata todos por igual e não da forma que deveria ser 'tratar com justiça'.

Tratar com justiça é dar o tratamento adequado de acordo com o comportamento dos agentes sociais.

Para quando um Estado justo e não igualitário?.

 

 

 

publicado por RPF às 08:45

mais sobre mim
pesquisar
 
Agosto 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9