20 Novembro 2008

Em 2006 o actualmente eleito presidente dos EUA, Barack Obama, escreveu um livro, " Audacity of Hope (thoughts on reclaiming the american dream)"  , em que aponta a sua visão da América do futuro tendo em conta os desafios que se colocavam e a situação do momento em áereas relevantes.

A educação foi um dos aspectos

em que focou a sua atenção, em especial no ensino publico obrigatório.

Deixo-vos aqui algumas passagens desse capitulo.

 

"America now has one of the highest high school dropout rates in the industrialized world. By their senior year, American high school students score lower on math and science tests than most of their foreign peers. Half of all teenagers can’t understand basic fractions, half of all nine-year-olds can’t perform basic multiplication or division, and although more American students than ever are taking college entrance exams, only 22 percent are prepared to take college-level classes in English, math, and science.
I don’t believe government alone can turn these statistics around. Parents have the primary responsibility for instilling an ethic of hard work and educational achievement in their children. But parents rightly expect their government, through the public schools, to serve as full partners in the educational process—just as it has for earlier generations of Americans."

 

"A América tem agora uma das mais altas taxas de abandono escolar no mundo industrializado. No seu último ano, os alunos das secundárias americanas têm resultados mais baixos, em matemática e ciências, do que a maioria dos seus colegas estrangeiras. Metade dos adolescentes não compreendem fracções básicas, metade dos alunos com 9 anos não consegue realizar operações de multiplicação e divisão básicas, e embora mais do que nunca os estudantes americanos estão realizando exames de acesso à Universidade, apenas 22 por cento estão preparadas para ter aulas de Inglês, Matemática, e Ciências nas Universidades.
Eu não acredito que governo pode, por si só transformar estas estatísticas. Os pais têm a responsabilidade primária de incutir uma ética de trabalho duro e dos resultados escolares em seus filhos. Mas os pais esperam justificadamente que o seu governo, através das escolas públicas, sirva como parceiro no processo educacional, como já aconteceu para as gerações anteriores de americanos."
(tradução livre efectuada por mim)

 

Há aqui dois apelos e duas verdades insofismáveis : a escola não é dos professores ou dos alunos mas sim da sociedade. A intervenção e empenho dos pais é um ponto fundamental do sucesso dos alunos e das escolas.

Não é também a questão com que hoje se debate a sociedade portuguesa?

Vamos deixar, por omissão de acção, que as decisões sobre a escola sejam decididas, na rua, por uma minoria (neste caso os professores) activista que tem uma visão 'passada' da escola e do seu próprio 'papel'?.

 

publicado por RPF às 07:10

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9