17 Fevereiro 2009

Como creio já ter referido em post anterior, o sector automóvel mantinha o mesmo paradigma desde o inicio do século passado, quando se deu inicio à produção em massa do Ford T.

A tecnologia que tem vindo a ser incorporada é ao nível do desempenho das viaturas, design e segurança.

Mas o paradigma energético é o mesmo.

Apesar das várias crises e choques petrolíferos que ocorreram nunca o sector automóvel sentiu necessidade de inovar.

Parece que agora é o momento.

Este carro, apresentado em Espanha, pela EDP e construído pela FIAT parece já ter desempenhos adequados para a vida nas grandes cidades, onde o problema da poluição é mais preocupante.

Mantém-se a questão do carregar a bateria (presumo que tal seja necessário) para quem vive no 5ª. andar de um prédio, mas para isso já está em curso o plano de apoio à distribuição que foi anunciado. É para isto que serve um Governo, criar as condições para que o mercado e as empresas resolvam os problemas e que a sociedade funcione livremente.

 

 

(video via Expresso)

Esperemos que seja um passo importante para avançar para soluções mais robustas e adequadas à utilização em estradas e no longo curso (transporte de mercadorias e transportes públicos)

Para já há condições para que as viaturas das empresas, que centram as deslocações dos seus colaboradores nas cidades, sejam um mercado potencial para estas viaturas.

Também nos utilizadores é necessário mudar o paradigma, porque sem eles não há mercado, sem mercado não há empresas e sem empresas não há postos de trabalho.


19 Janeiro 2009

Como sempre pensei, e várias vezes o fui dizendo, para um País com dimensão de Portugal o meio de transporte adequado é o comboio.

Não só para passageiros mas também para mercadorias (neste caso interligando os pontos de recepção de mercadoria, portos e aeroportos, com os Hub's de distribuição).

Por esse motivo sempre achei mais importante e necessário a duplicação da linha do Algarve (Lisboa - Faro), e a sua ligação a Beja (ou a ligação de Sines ao Poceirão e ao Carregado) , do que o TGV  entre Lisboa e Porto, porque a ligação Lisboa - Madrid (pagando os espanhóis 2/3 dessa ligação) também me parece adequada para a ligação do País à rede de alta velocidade europeia.

Este artigo do Irish Times, parece que me vem dar razão no que diz respeito ao sucesso das redes e alta velocidade em Espanha.

A dimensão dos países é relevante quando se equaciona a estrutura de transportes.

 


15 Agosto 2008

Esta noticia é quase inacreditável, mas aconteceu.

Será que os radares das nossas policias estão tão bem ajustados como os da policia brasileira?.

Claro que tudo pode não passar de um 'problema informático', como é costume dizer, mas ....

publicado por RPF às 08:29

27 Julho 2008

Será, que de uma forma rápida, poderá ser melhorado o desempenho dos carros hibridos?.

Esta noticia pode ser o sinal de que tal poderá ser possivel muito mais rápidamente do que imaginávamos.

publicado por RPF às 10:53

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
16
17

18
19
20
21
22
23
24

26
27
28
29
30