05 Março 2009

Hoje vi em Tavira o novo cartaz do BE : "Quem tem lucros, não pode despedir".

Vim no caminho para casa a pensar:

- e quem não tem, poderá (é que há cerca de 200.000 empresas que não apresentam lucros)?

- por se ter lucro num ano vai-se ter sempre?

- os outros indicadores de análise de saúde de uma empresa (EBITDA, solvabilidade, capitais próprios .vs. capital social, etc...) servem para quê?

- mas a economia, como base de relações sociais, é uma fotografia dum momento ou é um filme de vai decorrendo ao longo do tempo?

- o passado mostra-nos o sucesso futuro ou o que temos de mudar para ter sucesso no futuro?

E muitas mais que, ou já me esqueci, ou não quero partilhar.

Esta visão parece-me retrograda porque não coloca o problema na sua verdadeira dimensão : será que o produto/serviços prestado por essa empresa satisfaz uma necessidade social, hoje e amanhã? E para isso o que tem de ser alterado, modificado e/ou adaptado?

Finalmente esta é uma visão estática porque não entende que a sociedade e as suas necessidades mudam, mas cada um tem a perspectiva que quer, certa ou errada.

 

publicado por RPF às 20:49

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

3 seguidores

pesquisar
 
Março 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9