17 Junho 2008

Estive a ver imagens, na televisão, da contestação aos preços dos combustíveis.

Do que vi retive:

a) que 99% das pessoas questionadas pela televisão estavam sozinhas no carro

b) que havia filas de viaturas para entrar na cidade

c) que a maior parte das pessoas acredita que se contestar o preço do petróleo nos mercados internacionais vai baixar ou que a Arábia Saudita vai aumentar a produção

d) que o governo deve baixar o ISP

No final fica aquilo que eu não percebi:

a) existem transportes públicos que as pessoas não utilizam (também são subsidiados por mim que não os posso utilizar)

b) que são os impostos que fazem com que todos tenhamos apoio social (em caso de necessidade), hospitais e centros de saúde quase gratuitos, escolas, universidades e jardins de infância, tribunais, forças armadas, descontos na compra de medicamentos, transportes públicos (onde há), etc., etc., etc. (ou será que queremos em todos estes casos a lógica do - utilizador/pagador, tão em voga nos últimos tempos?)

c) que não temos nenhuma influência nos mercados mundiais do petróleo

d) para que é que foi construída uma linha ferroviária na Ponte 25 de Abril?

Esta é a grande questão . AFINAL O QUE É QUE QUEREMOS?.

No limite o que parece que pretendemos é que nos dêem tudo e em troca não queremos dar nada.

 


17 Junho 2008

Esta noticia mostra que empresas portuguesas podem ser, e são, de topo em algumas áreas.

Cada vez que leio noticias deste teor pergunto-me : mas afinal porque é que existem empresas de sucesso e nesse mesmo sector há empresas ineficazes?.

O que as distingue?

Porque é que umas conseguem e outras não?

 


17 Junho 2008

Eu sei que os referendos encerram, em alguns casos, questões complexas.

Quanto mais complexa fôr a sua interpretação, mais se apela a um referendo.

Eu não quero referendar o Tratado de Lisboa, o Tratado da NATO, o Tratado de Quioto, o Tratado Mundial de Comércio, etc.

A única coisa que pretendo é que me seja permitido votar no Partido 'Os Verdes'.

Não me lembro de ter alguma vez o Partido ter concorrido só, a um acto eleitoral.

Já é tempo de o fazer.


publicado por RPF às 11:11
tags:

17 Junho 2008

"Quem são eles para pôr em causa o Conselho Directivo"

Esta frase proferida pelo Presidente do Conselho Directivo da EB Integrada de Pampilhosa da Serra, nesta noticia, mostra bem qual a noção que alguns profissionais têm da escola.

E tem alguma razão : que conhecimentos têm para questionar profissionais e pôr em causa o seu desempenho?.

Será que ainda não explicaram ao Sr.. Presidente do Conselho Directivo da Escola, e a muitos mais que trabalham no sector da educação, que são essas mesmas pessoas que escrutinam o Governo do País e as Empresas, quando escolhem ou não os seus serviços, que competem no mercado e que todos somos escrutinados ao longo da nossa vida profissional, pelos superiores hierárquicos, pelos colegas, pelos colaboradores e pelos clientes (este escrutínio até dói).

Será que são competentes para isso mas não, para este caso complexo, da educação e formação dos seus filhos?.

 

 

publicado por RPF às 10:48

17 Junho 2008

Com o caudal de informação noticiosa que existe e a 'triagem' efectuada pelos telejornais, acabam por passar despercebidos (não noticiados) factos que posteriormente vêm a ter um impacto significativa na nossa segurança, prosperidade ou bem estar.

Parece-me ser o caso desta que não teve nenhuma referência nos noticiários televisivos e que garantidamente vai ter impactos negativos, maiores ou menores, mas vai ter.

Ainda não é visível o seu impacto mas certamente que o vai ter, negativo nos locais donde os capitais foram retirados, e positivo para os novos locais.

 


subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

3 seguidores

pesquisar
 
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14