19 Junho 2008

Aproveitei ter de me deslocar a Vila real de Santo António para dar um salto á bomba de abastecimento da ERG, em Ayamonte, para ver como estavam os preços.

Mais uma vez se verifica que o preço da gasolina s/pb 95 está cerca de 4 Cêntimos mais barata que o gasóleo (contráriamente ao que se passa em Portugal e gostava de saber porquê) que estava marcado a 1.288 €.

Fiquei espantado porque tinha acabado de ver os preços do gasóleo em Portugal que variavam entre 1.310 € (Aveiro) e 1.385 € (Beja) numa informação do Correio da Manhã de hoje.

Para um País que tem o ISP cerca de 20 Cêntimos (se não me falha a memória dos últimos dados que vi) a menos que em Portugal e um IVA de 16% contra os nossos 21%, então existe (se existir) especulação em Portugal ou em Espanha?.

Será que este diferencial não mostra que o problema da competição nos transportes  rodoviários está no desquilibrio entre a oferta e a procura, a indiferenciação dos serviços e a falta de dimensão de empresas do sector que lhes tira eficiência?.

 

publicado por RPF às 17:14

19 Junho 2008

Quando ouvimos comentários das pessoas parece que ainda não foi compreendido uma verdade de 'La Palisse'.

As empresas geram riqueza e o estado gera custos.

E como é que o Estado, afinal, se financia para poder prestar os serviços, que exigimos, de forma quase gratuita e ao mesmo tempo apoiar os mais desfavorecidas, fazendo a redistribuição social da riqueza criada no País? Com os impostos, claro.

E porque é que as empresas não estão a ser capazes de gerar a riqueza?

Porque não se adaptaram ao mundo actual e pretendem ter novos resultados fazendo tudo como antigamente.

Assim não vamos lá.

 


19 Junho 2008

Esta noticia é o melhor indicador das escolhas, muitas vezes erradas, que fazemos.

Escolhemos, normalmente, pelo partido ou pelo conhecimento pessoal e raramente pelas capacidades para gerir os nossos destinos, e o dinheiro, comum na prossecução de objectivos de segurança, prosperidade e bem estar.

E agora, queremos que todos ajudem a suportar os erros de escolha que fizemos.

É por isso que o País está deste modo.

A outra opção é encerrarmos Câmaras Municipais. Já sei, e não entendo, qual é o problema?

Tudo tem um ciclo de vida que no final leva ao desaparecimento.

Não é chegado o momento de repensarmos a nossa administração (é bom lembrar que a ultima reforma administrativa das autarquias, não falo ao nível das competências mas sim da definição geográfica) tem cerca de 150 anos.

Ainda somos o mesmo País? Os pressupostos não se alteraram?

publicado por RPF às 06:58

subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

3 seguidores

pesquisar
 
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14