06 Setembro 2008

É claro e óbvio para todos nós que uma empresa só existe para fornecer valor ao cliente, em troca dos seus produtos, valorizar os seus activos, colaboradores, e satisfazer os investimentos dos seus accionistas, lucrar.

O ponto que é sempre menos relevado pela gestão das empresas é o da valorização dos seus activos, quando é o aspecto menos copiável pelos concorrentes.

Essa valorização não se faz somente pela formação profissional ou cultural mas também pela criação de condições que libertem os colaboradores das suas preocupações familiares para estarem disponíveis para o trabalho que têm para fazer, e fazê-lo bem.

É nesta óptica que o artigo do Prof. Freek Vermeulen se enquadra.

A valorização bolsista, termómetro para a avaliação de uma empresa por qualquer accionista e investidor, aumenta com o "compromisso social" com os colaboradores.

Não devemos 'fechar os olhos' às transformações que estão a acontecer.

 

 

publicado por RPF às 10:44

06 Setembro 2008

Esta noticia do jornal Gol.com mostra como  não é somente as capacidades técnicas futebolísticas que, se mostram em campo, fazem um grande jogador e uma grande carreia.

As oportunidades que se agarram ou se desperdiçam são importantíssimas e isso tem a ver com as suas atitudes e comportamentos (dentro e fora do campo) que garantem a empregabilidade e o sucesso, ou insucesso, de uma carreira desportiva profissional.

 

 

publicado por RPF às 07:51
tags:

subscrever feeds
mais sobre mim

ver perfil

3 seguidores

pesquisar
 
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9